A herdeira belga.

O que Ralf Simons, Martin Margiela e Dris Van Noten tem em comum?  Todos são designers belgas que estudaram na Antuérpia e ganharam projeção mundial (como é o caso de Ralf Simons, que é hoje o diretor criativo da Dior).  Uma das herdeiras dessa geração de ouro é Veronique Branquinho, que, como seus antecessores, é belga e se formou na Antuérpia. Apesar de não ser novata, Veronique só agora está sendo notada pelo mainstream da moda.   Após anos de ausência das passarelas, ela retornou em 2013 restabelecendo seu nome como um dos grandes talentos e colocando suas coleções nas maiores boutiques  americanas.  Com uma moda prática, de linhas clássicas, que favorece sempre a alfaiataria masculina, Veronique faz parte do grupo que inclui Phoebe Philo (da Céline), Claire Waight Keller (da Chloé) e Stella Mccartney, designers reconhecidas por desenharem roupas para “mulheres reais”.   Uma das provas de que Veronique tem um dedo no pulso da moda é a sua linha de sapatos, que são o complemento perfeito para o momento “conforto com estilo” que a moda está vivendo.

Tags: